05 outubro, 2011

Steve Jobs, 1955 - 2011

Não sou um Mac, sou um PC, mas isso não muda em nada o fato de que o mundo ficou um pouco mais feio e triste hoje, com a perda de Steve Jobs para um câncer no pâncreas.

Homenagem na Wired.com à Steve Jobs Nota na Apple.com sobre o falecimento de Jobs.

Desde quando comecei minha carreira como desenvolvedor, em 2000, eu trabalho com PCs e tecnologia primariamente da Microsoft, então acho que deve ser no mínimo estranho me ver fazendo aqui um post sobre o falecimento de Steve Jobs, mas ninguém pode negar que ele revolucionou todo o mercado de tecnologia.

Minha carreira começou como programador web, mas eu sempre me interessei bastante em fazer as coisas de forma a serem simples para o usuário (e se possível, para o desenvolvedor também). Na época esse conceito não tinha um nome nem era muito difundido, mas hoje chamamos de UX (experiência do usuário). Em toda minha carreira eu me dediquei a criar software seguindo o que considerava a melhor experiência possível. Comecei a focar mais intensamente nessa área a partir de 2007, com o surgimento do Silverlight, inicio da difusão do HTML5 e a crescente atenção dada pela Microsoft a design e UX. Hoje, sou o especialista de UX e novas tecnologias na empresa onde trabalho e adoro o que faço. Devo muito ao Steve, pois se há alguém responsável por UX finalmente ter se tornado um assunto importante, ele foi esse alguém.

O único iProduto que tenho é um iPod Touch, que foi comprado 6 meses atrás quando eu estava ajudando em um projeto para portar uma aplicação de iOS para Windows Phone 7. É um bom aparelho e não me arrependo da compra, mas uso apenas para jogar e fazer testes de desenvolvimento.

Apesar de eu não ser muito fã da linguagem de design dos softwares da Apple, é impossível negar o impacto que eles têm no nosso mercado atual. Steve mudou o mundo ao mostrar que a experiência do usuário é o mais importante, não a tecnologia. As coisas devem ser fáceis de usar, simples de entender, práticas e belas ao mesmo tempo. Se não tiver esses 4 requisitos, não terá o sucesso que poderia ter.

A morte de Steve serve também para mostrar que ele era humano, como nós. Um humano extraordinário, mas humano, o que significa que todos temos esse potencial de mudar o mundo, fazer a diferença, mas apenas poucos conseguimos.

Para mostrar como Steve Jobs foi importante, basta olhar para quem já fez algum pronunciamento sobre seu falecimento e prestar atenção na mensagem que cada um tentou passar: Bill Gates, Barak Obama, Michael Bloomberg, Steve Wozniak, e muitos outros que nem dá pra citar aqui.

Por tudo isso, obrigado Steve. O mundo ficou um pouco mais feio e triste hoje. Meus mais sinceros sentimentos a todos seus amigos e familiares. Descanse em paz.

Nenhum comentário: